Sal e líquidos

Calculadora Nutrição

Ganho de peso interdialítico máximo

=

Total de líquidos permitidos em 24h

=

Função, onde se encontra e como cumprir com as recomendações alimentares para este mineral.

O sódio é um mineral que está presente nos alimentos, podendo estar presente como cloreto de sódio (sal) e/ou sob outras formas de sódio (como o glutamato monossódico, fosfato dissódico, benzoato de sódio, etc.).

Este mineral é necessário para manter o balanço hídrico do organismo, no entanto, na doença renal crónica os rins perdem a capacidade de remover o excesso de sódio e de líquidos. A acumulação destes pode provocar o aumento da pressão arterial, edemas (inchaço), desconforto durante a sessão de hemodiálise e dificuldade em respirar (excesso de líquidos nos pulmões).

Neste sentido, é aconselhado que a alimentação de uma pessoa em programa regular de hemodiálise tenha um baixo teor em sódio, limitando a quantidade de sal (cloreto de sódio) ingerida, quer nos alimentos, quer adicionada na confecção alimentar. Para isso, torna-se importante evitar os alimentos com elevado teor em sódio.

                                                                                                         

Deve também, estar atento ao rótulo dos alimentos e escolher sempre aqueles que contêm a menor quantidade de sódio. Uma regra simples para a leitura do rótulo é verificar, na lista de ingredientes, se o sódio faz parte dos primeiros cinco ingredientes. Caso faça, o produto provavelmente é rico em sódio.

Outra sugestão para reduzir a ingestão deste mineral é cozinhar com ervas aromáticas e especiarias, ao invés de utilizar o sal. E sempre que almoçar ou jantar fora, peça as confecções com pouco ou nenhum sal e solicite os molhos (que habitualmente são ricos em sódio) à parte. Assim, caso pretenda adicioná-los já o fará de forma mais adequada, controlando a quantidade.

O seu nutricionista/dietista está disponível para ajudar a planear uma alimentação com baixo teor em sódio, dando-lhe alternativas à redução da ingestão de sal e informando-o acerca da quantidade de sódio dos seus alimentos preferidos. Se inicialmente o seu paladar pode sentir falta do sal, gradualmente irá degustar os sabores naturais dos alimentos.

 

Os insuficientes renais crónicos em hemodiálise também não conseguem remover o excesso de líquidos que se acumula no organismo, portanto, o objectivo da restrição de líquidos é ajudar a sentir-se mais confortável antes, durante e após as sessões de hemodiálise. Entre os tratamentos, exceder a ingestão de líquidos recomendada pode levar a uma acumulação excessiva de líquidos no organismo, que causa o aumento da pressão arterial, edemas (inchaço), desconforto durante a sessão de tratamento e dificuldade em respirar (excesso de líquidos nos pulmões).

A hemodiálise remove líquidos, no entanto existe um limite que é considerado seguro remover durante o tratamento (Através da ferramenta de cálculo DIAVERUM pode calcular qual o ganho ponderal interdialítico máximo, adequado a si). Quando uma pessoa em programa regular de hemodiálise excede esse limite, pode sentir cãibras e quebras da tensão arterial durante o seu tratamento de hemodiálise. O ganho exagerado de peso entre as diálises também está associado a complicações cardiovasculares.

A restrição de líquidos varia consoante a pessoa e existem factores como o ganho de peso entre os tratamentos, a quantidade de urina e os edemas que são considerados. Desta forma, para controlar a ingestão de líquidos deve ter em consideração alguns conselhos.

O seu nutricionista/dietista ajuda-o também a calcular os seus objectivos de ingestão total de líquidos e auxilia-o na sua contabilização.